domingo, 1 de agosto de 2010

[70] Sedução

Na casa, ventania
o vento chama a menina
assobia

Regina Lyra

[69] Inanição

dias há em que a verdade mente
aurora sem graça
amanhece poente

Lílian Maial

[68] Lua e luar

verde do mar,
contas azuis a me olhar...
[ah, para que acordar?

Eliana Mora

[67] Porque amanhã é sexta

Gel no cabelo, cheiro no cangote.
No rebote lustra o fusca.
Amanhã é dia de busca.

Rosa Pena

[66] Quando o sol se levanta

a noite está no final;
vai-se a ânsia por breu.
Outra vem: a do doirado dos teus pelos.

Eliana Mora

[65] Sacrame(i)nto

a elevação dos teus princípios
o leme dos teus quadris
peç(c)as sob a batina

Lílian Maial

[64] Sem cor

No desbotado da dor,
vejo o retrato.
Abandono do móvel sem portas.

Regina Lyra

[63] Serenata

Alço notas na mão,
Rasgo o marinho da noite,
Desperto a estrela enamorada.

Kathleen Lessa

quarta-feira, 28 de julho de 2010

[62] Trivial

Essências, mel, vinho, pós...
pra dar liga, mexer sem parar.
Faço de olhos fechados!

Déa Villanella

[61] Num canto de rua

o menino tinha olhos azuis.
a tristeza em seu olhar,
parecia não ter fim

Pedro Cardoso

[60] Puxa, que alívio!

depois do perdão ela sorriu
sorriso tão singelo e meigo
que eu chorei.

Hércio Afonso

[59] Raiva

Noite hematófaga,
Finda meu néctar, rouba-me o fruto...
A m o r c e g o.

Marcelo Marinho

[57] Um poeta não escreve às cegas

tinha um óculos naquela estátua
naquela estátua tinha um óculos
ah, copacabana!

Hércio Afonso

[58] Sem destino

Cada escolha, um caminho.
A vida tem seus precipícios,
Só quem salta alcança nuvens

Marcelo Marinho

segunda-feira, 26 de julho de 2010

[56] Missa aos domingos

Via a moda e os modos.
Muda,
somava medos de Deus.

Tuca

[55] Paulo

Blue sky in blues.
Mora?
Aliás, Moura!

Rosa Pena

[54] Três vezes Narciso

Eu,
o meu Eu,
e o meu Espelho.

Djalma Filho

[53] Sempre, presença:

em verso:
em_cena,
celeuma.

Madá

[52] Rotineiro

resisto a quase tudo:
pia, fogão, pano de chão...
não, à cama não!

Déa Villanella

[51] Poesia no ar

Versos saltam janelas
No céu flutuam
(Di)Versificam o Planeta.

Kathleen Lessa

[49] Diarista

Dura lida,
de dia passa, passa a noite, passa...
A vida.

Marcelo Marinho

[50] Fotografia

capturo instantes
antes que eles terminem -
arte de amar o efêmero

Tuca

[48] Doces mistérios

no pomar
a brisa passa...
árvores trocam segredos

Tuca

[47] Auto-estima

desamor não tem desculpa
tempo não é desabono
são folhas secas que enfeitam o outono

Lílian Maial

[46] Aquele abandono era total

e ela cantava,
não uma ária
só, fugas

Hércio Afonso

[45] A Lua e o boeing

Lá no céu, início da tarde,
uma cena me toca.
Vejo a Lua, fora de hora, assediando um Boing.

CCF

sexta-feira, 23 de julho de 2010

[44] Na cama

Na cama tem um lado vazio
tem um lado vazio, na cama
tem um vazio

Dreyf

[42] Ficou na semente

Não foi eternamente
Não há culpado, não há inocente.
Amor com rumos diferentes.

Rosa Pena

[43] Determinação

quando o sol aparece
velhinhos passeiam -
desfile de bengalas

Tuca

[40] Extrato raro

Amantes nas madrugadas,
Essência somos...
Mandrágora e almíscar misturados.

Kathleen Lessa

[41] Inútil camuflagem

decifro seu rosto
toco no seu pensamento -
silêncios tão barulhentos!

Tuca

quinta-feira, 22 de julho de 2010

[39] Análogos

côncavos, convexos,
conversos, complexos,
amores/ versos.

Madá

[38] Após a Tempestade

Boca que beija sopra a calmaria
Quem diria que um golpe de ar
acalmaria?

Douglas Siviotti

[37] Ali, do outro lado do mundo

livre e só
contemplo um mundo que chora... e rio
a brisa leva o que sobrou de mim: pó!

Hércio Afonso

[36] À primeira vista

Belos traços!
Grandes riscos!
Caso ilustrado.

Dreyf

[35] Chove-não-molha

do céu,
intermitentemente,
um sem parar de gotas magras.

Djalma Filho

[34] Conselho

Disse assim Baudelaire
Embriaga-te. ..a teu gosto
Hic...entornei o verbo, amem!

Celso Corrêa de Freitas

[33] (D)efeitos do Tempo

na moldura, a cena;
fotos, beijos, votos:
[tons sépia, a esmaecer]

Eliana Mora

[32] Intervalos

no contraponto da vida,
passando a vírgula,
dois pontos, um final.

Regina Lyra

[31] Primeiro beijo

de olhos fechados
tímidas meninas
brincam de roda

Dreyf

[29] Sol de inverno na serra

Fino véu de organza,
Carícia no rosto.
Vida passando leve... a pé.

Kathleen Lessa

[30] Siso

Esquecer aquele amor.
Esquecer o próprio amor.
Não esquecer o amor- próprio.

Rosa Pena

[28] Verão sem ti

Teu corpo primavera,
semem, semente, fruto...muda.
É frio agora.

Déa Villanella

terça-feira, 20 de julho de 2010

[27] (A)Batimento

Velho coração,
Desacostumado,
Bate sonhos e esperas...

Kathleen Lessa

[26] Dia Branco

Chuva fina e gelada
A janela fechada
deixa inverno lá fora.

Marília Baetas

[25] Ocorrência

apenas uma nesga,
um fio de sol em
largo horizonte.

Madá

[24] Cultivando o futuro

Durante o dia
plantava letras;
à noite, sonhos.

Hércio Afonso

[23] Bola de sabão

Assim é a vida
No início leve, colorida
De repente...ploc.

Marcelo Marinho

[22] Encantamento

Uma pedra!A lua! Uma rosa!...
Que maravilha!
Minha alma enxerga bem.

Márcia Aguiar

[21] Paquera de Pássaro

um certo azul ao fundo;
um certo olhar...
[quem sabe uma bicada?

Eliana Mora

[20] Essencial

Apenas a palavra.
Os silêncios
redundantes. ..

Lílian Maial

domingo, 18 de julho de 2010

[19] No varal

ao lado da lingerie
só, um lenço
...acenos

(Dreyf)

[18] Voei junto

e o filho partiu...
de tanto olhar para o céu
meus olhos azulejaram

(Tuca)

[17] No azul de brigadeiro

ao longe, um aceno
na verde esperança de um relance
um arco-íris de saudade

(Lilian Maial)

[16] De foz em fora

No fim de tudo:
Rio!
Afluo.

(Dreyf)

[15] Menino de rua

o brinquedo era de plástico
1,99
mas ele parecia feliz

(Pedro Cardoso)

[14] Escolhas

Utilizar pessoas como ração
ir para Bangu
abandonar a nação.

(Marcelo Marinho)

[13] Entregar-se

Meu mestiço moleque,
No teu caule maduro
Eu me abro em leque.

(Kathleen Lessa)

[12] Ah! Se as nuvens falassem...

Não seriam tão brancas
- ruborizadas -
flores de algodão.

(Lilian Pool)

[11] Sarau

Pendurei raios e trovas
nas barbas daquela nuvem.
['enraizei' poesia no Céu!]

(Eliana Mora)

[10] Verão

Esticada no poste
largatixa pega sol
Praia de concreto.

(Marília)

[9] Desarvorada

Colhida a flor,
cortaste o tronco.
Na raiz: muda!

(Déa Vilanella)

[8] Traidor

dentro do pote
o sol beijava a água
olhando pra lua

(Pedro Cardoso)

[6] Do zero aos oitenta

perto do berço,
balança a cadeira de balanço:
longevidade e esperança – lado a lado.

(Djalma Filho)

[7] A batida do pilão

O pau se bate co'as mãos
...tritura, tritura, tritura.
Ah, quanta tortura até virar pó!

(Hércio Afonso)

[5] Em cacos

A porta bateu.
Distraído, nem vi.
Partiu!

(Dreyf)

[4] Pó da Lua

Cheia de ternura nova
crescente pulverizou os amantes.
Expulsou o amor minguante.

(Rosa Pena)

[3] Cio da terra

lavrei os meus sonhos –
você – parte de nós:
gomos maduros

(Pedro Cardoso)

[2] Inverno

vento inventa
fenda indiscreta
na saia da moça

(Ricardo Mainieri)

[1] EVA

essa dor do lado:
falta da costela
sonho no tanque esfregado

(Lílian Maial)